13/05/2020

Dia Internacional do Enfermeiro – Na Linha de Frente no Combate a COVID – 19

“O CUIDAR E AMAR DIÁRIO, DE QUEM SE DEDICA TODOS OS DIAS PELO PRÓXIMO”

Hoje se comemora o dia Internacional do Enfermeiro, data criada pelo Conselho Internacional dos Enfermeiros (CIE) o dia também remete para o aniversário de Florence Nightingale. Considerada a precursora da enfermagem moderna. A Organização Mundial da Saúde – OMS juntamente com o CIE lançaram em fevereiro de 2018, a Campanha NursingNow (Enfermagem Agora) – ação internacional de empoderamento dos profissionais de Enfermagem -, que visa, até o final do ano de 2020, a valorização dos profissionais de Enfermagem para a garantia e a ampliação de acesso à saúde para a população e tem como objetivo atingir as seguintes metas:

1) Investir no fortalecimento da educação e no desenvolvimento dos profissionais de Enfermagem, com foco na liderança;

2) Investir na melhoria das condições de trabalho;

3) Disseminar práticas efetivas e inovadoras de Enfermagem, com fundamento em evidências científicas, no âmbito regional e nacional.

Em comemoração ao bicentenário de Florence Nightingale, o ano de 2020 foi reconhecido junto a OMS (Organização Mundial da Saúde) e pela OPAS (Organização Pan-Americana da Saúde) como o ano Internacional da Enfermagem.

Momentos de reconhecimento e de lutas para esse profissional que se destaca mais ainda nesse período de pandemia do Coronavírus. O Pará tem a maior proporção de mortos por casos confirmados do Brasil, é o que mostra o Ministério da Saúde. O que significa que de cada cem pacientes confirmados com a Covid – 19, 10 morrem por causa da doença. Segundo a Secretaria de Saúde Estadual, Sespa, já são 9.059 casos confirmados e 914 mortos, até hoje. Isso gera 10.7% de índice de letalidade. O estado fica na frente do Rio de Janeiro que está com 9.8% no índice de letalidade. E desse total de casos confirmados e mortos, existem profissionais da Enfermagem. Uma triste realidade de quem se comprometeu em cuidar.

Para os que continuam trabalhando houve a abdicação das famílias, como a Eva Sozinho que deixou a filha e mãe e esta há dois meses trabalhando na Upa de Icoaraci, distrito de Belém. Ajudando milhares de famílias. “Essa foi a profissão que eu escolhi e que eu amo. Sempre digo que primeiro a família e depois a Enfermagem. Cuido com carinho de cada paciente que atendo. Tem sido dias difíceis, mas me sinto realizada em poder ajudar cada paciente que entra na Unidade”, afirmou.

 

“Sou enfermeira há 10 anos, especializada em terapia intensiva e educação em saúde, não sei de fato se foi eu quem escolheu a enfermagem ou se foi á enfermagem quem me escolheu, pois, coincidentemente nasci no dia Internacional do Enfermeiro, e amo exercer essa profissão que possui a arte de envolver ciência, evidência, amor, compaixão e cuidado em uma só profissão” esse é o relato da Waylla Luz.

 

Que se deparou com os colegas de profissão emocionalmente abalados por conta das notícias de afastamento de servidores e mortes, tanto de servidores como de parentes de servidores. Além de vários momentos, que segundo ela ficarão marcados na vida profissional. “Pois nesses 10 anos de profissão nunca vivi o que eu passei nesses últimos três meses. Também vou levar na mente a primeira alta do paciente entubado na UTI que trabalho. A alegria de passar a visita numa puérpera da UTI e ela recém entubada perguntar sobre o filho e eu ter a boa nova de que o bebê estava aguardando a alta para juntarem-se na enfermaria. Isso paga todo nosso esforço e me emociono só de relembrar. São os tantos casos que tive a felicidade de presenciar e viver. Impossível tudo isso não nos tornar seres humanos melhores” afirmou.

E dentre todos esses trabalhos que vem sendo desenvolvido pela categoria o Conselho Regional de Enfermagem, Coren-PA vem trabalhando com foco na saúde e segurança desses profissionais. “Nesse período de pandemia o Coren-PA tem atuado principalmente para que os serviços de saúde disponibilizem em quantidade e qualidade suficiente a assistência daqueles que estão na linha de frente do combate à Covid-19, e assim tentar minimizar a contaminação pela grande carga viral decorrente da assistência; bem como tem atuado para que as prerrogativas do enfermeiro sejam garantidas.” Afirmou a presidente do Coren, Danielle Cruz.

A presidente disse ainda “Espero que quando tudo isso passar, seja um recomeço de visibilidade a nossa profissão e valorização do nosso papel na saúde e sociedade brasileira. A enfermagem clama por um piso salarial nacional e a regulamentação da jornada de trabalho em 30 horas semanais.

“Proteger a Enfermagem é proteger a saúde do Brasil”




  • coren5-181x116
  • transferencia
  • e-dimensionamento1-207x117
  • BannerLateralAnjosEnfermagem-207x117
  • BannerLateralSaudeEvidencias-207x114
  • BannerLateralMunean-207x111